start
stop

Audiência entre representantes do DAI-AMTB e a Vice-Procuradora Geral da República

 

No último dia 17/5 estivemos presentes na Procuradoria Geral da República para uma audiência com a Dra Debora Duprat, articulada pelo Dep João Campos, presidente da Frente Parlamentar Evangélica. Estavamos um tanto apreensivos porém pedindo ao Senhor que, por sua graça, nos abençoasse com a promessa de Lucas 12:11 – “Quando, pois, vos levarem às sinagogas, aos magistrados e às autoridades, não estejais solícitos de como ou do que haveis de responder, nem do que haveis de dizer. Porque o Espírito Santo vos ensinará na mesma hora o que deveis dizer”.

O Deputado introduziu muito bem a conversa, ressaltando a necessidade de um diálogo maior com as missões indígenas e os evangélicos de modo geral, e logo nos passou a palavra. O Pr Rocindes Correa (diretor do DAI-AMTB) fez uma ótima apresentação da AMTB, seus propósitos, sua representatividade, e nosso desejo de aproximação com o Ministério Público para o diálogo. Em seguida expusemos algumas preocupações nossas em relação a posturas assumidas por opositores ao trabalho missionário, inclusive nos órgãos governamentais, utilizando argumentos falaciosos e, muitas vezes, falsas acusações.

 

A Dra Debora mostrou-se bastante solicita, respeitosa, deu-nos todo o tempo necessário, inclusive excedendo em cerca de 15 minutos o tempo previsto para a audiência. Esclareceu que suas perspectivas são comumente baseadas em informações que chegam a ela por terceiros, e mostrou-se bastante surpresa em alguns momentos ao ser informada de fatos os quais desconhecia, como por exemplo, o arquivamento de acusações feitas no passado a uma agência missionária representada pelo DAI-AMTB, tanto pelo Ministério Publico como pela Polícia Federal, por absoluta falta de provas.

Sublinhamos o cuidado necessário com a precisão na tradução quando utilizado interprete para conversas com indígenas monolíngues, observando ser essa uma costumeira fonte de malentendidos e informações imprecisas.

Expôs também algumas convicções animadoras, como o reconhecimento do caráter dinâmico das culturas, o apoio à permanência de missionários onde estes já estão integrados à vida do povo e exercem uma contribuição positiva, sempre levando em conta a decisão dos indígenas como fator preponderante.

Ressaltou que entre os procuradores há pessoas radicalmente contra nossa presença em área e não estao dispostos a reverem isso, configrando uma realidade de oposição que bem conhecemos.

Em suma, estamos bastante animados com a experiência, crendo que abriu-se uma porta preciosa que devemos nos esforçar para manter, e especialmente gratos a Deus pela oportunidade e por seu direcionamento.

Vamos em frente! Pedimos que continuem intercendendo e estejam totalmente à vontade para entrarem em contato e pedirem-nos informações através do Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Juntos, pelo Reino,

Coordenação do DAI-AMTB